O almasculina” traz diálogos sobre masculinidades e suas diversas maneiras de estar no mundo hoje para encontros mais viáveis pra todo mundo.

O podcast traz conversas com pessoas de diversas áreas pra desbravar esse tema tão urgente e paradoxalmente delicado; um universo que afeta diretamente e indiretamente a história da humanidade e gera tantos questionamentos, conflitos e inseguranças. A busca aqui é entender as visões dos nossos convidados, como vivenciam e lidam com as masculinidades no dia a dia apostando em suas potências e na capacidade de transformação por meio do diálogo, autoconhecimento, sensibilização e humanidade. O exercício aqui é não impor regras, nem modelos de como ser, mas, sim escutar da forma mais aberta possível, com o mínimo de edição.

O almasculina” é feito por:

Idealização, produção, roteiro e apresentação

Paulo Azevedo é ator, diretor e autor teatral, além de jornalista (UNI-BH, em 2000). Atua há mais de 20 anos nas artes cênicas como ator, autor, diretor e produtor teatral. Participou de espetáculos com grupos e diretores reconhecidos da cena brasileira, tais como: Hector Babenco, Cibele Forjaz e Yara de Novaes. É fundador e ex-integrante do Grupo Espanca!, responsável por espetáculos premiados. Na companhia mineira, Paulo foi indicado pela criação de “Por Elise” na categoria especial do Prêmio Shell SP 2005 e como Melhor Ator Prêmio Qualidade Brasil SP e Usiminas SINPARC 2008 por “Amores Surdos”. Fundador da Suacompanhia. Dirigiu os espetáculos: “O Menino Que Tinha a Cara do Sol”, “Histórias de Chocar” e “A Carne Exausta” e ainda assinou a dramaturgia de “Sonetos de Areia” e “Nômades”. Foi parceiro e performer da artista de dança Dudude Herrmann de 2002 a 2009. No cinema, atuou em 7 longas e 10 curtas metragens, sendo vencedor na categoria Melhor Ator na Competição Nacional do Prêmio Português CinEuphoria 2017 (Prêmio do Público) pelo seu trabalho como protagonista no filme “Estive em Lisboa e Lembrei de Você”, baseado na obra homônima de Luiz Ruffato e dirigido pelo português José Barahona. Pela mesma produção, foi indicado como Melhor Ator Filme Estrangeiro no “Melhores Filmes SESC 2016”. Na TV, atuou em de séries produzidas e exibidas pela Globo, Netflix, HBO, Fox, TNT, History Channel, TV Cultura e Record.

       


Trilha sonora original, gravação, edição e mixagem

Conrado Goys é guitarrista, violonista, compositor e arranjador. Já realizou trabalhos ao lado de nomes como, César Camargo Mariano, Gilberto Gil, João Bosco, Alejandro Sanz, Ivan Lins, Ivete Sangalo, Maria Gadú, Emílio Santiago, Margareth Menezes, Pedro Mariano, Jair Rodrigues, Eliane Elias, Tatiana Parra, Luisa Possi, Cauby Peixoto, entre outros. No cinema, compôs a trilha sonora para os longas “Onde Está a Felicidade?” (2011); e “Amor em Sampa” (2016), ambos dirigidos por Carlos Alberto Riccelli; e “Nunca Me Sonharam” (2017), dirigido por Cacau Rhoden. Em 2015, ao lado de Maria Gadú, compôs a trilha sonora para o documentário “Quem?”, dirigido pro Cacau Rhoden e Júlio Matos. No teatro, compôs a trilha sonora de “Deadline”, texto de Priscila Gontijo.


Identidade visual e arte

Glaura Santos é designer gráfica formada pela UEMG, cursou Letras na UFMG e sempre foi uma amante das artes e das palavras. Sua trajetória profissional, desde o início – como diretora de criação na Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes – apontou para o universo artístico, e o design cultural vem sendo, há mais de 25 anos, sua área preferencial de atuação. À frente de seu Glaura Santos Estúdio Criativo e em parceria com agências e escritórios de design assina projetos para empresas, eventos e artistas como Grupo Corpo, Casa Cor Minas Gerais, Unimed BH, Grupo Espanca!, Arthur Omar, Sara Antunes, Paulo Azevedo, Fafá Rennó, CINEOP (Mostra de Cinema de Ouro Preto), Luiza Barcelos e Galpão Cine Horto, entre tantos outros. Em dezembro de 2018, publicou seu primeiro livro, “todo mar vai ser você”.


Colaboração

Fundada por Paulo Azevedo, em 2014, a SUACOMPANHIA Criações Artísticas é um coletivo sediado em São Paulo, com colaboradores de diversos estados brasileiros, caracterizada pela confluência de linguagens, a atualidade temática e o encontro de artistas com carreiras reconhecidas e fortemente ligadas a importantes projetos teatrais nacionais. O resultado são obras originais pautadas pela mescla de linguagens (teatro, cinema, dança, literatura, artes em geral) e experiências, que tocam a sensibilidade do espectador. Os espetáculos têm em comum o olhar aguçado e poético sobre o cotidiano, as contradições do homem urbano e seus conflitos éticos e políticos, o respeito pelas diferenças, sem perder de vista um humor refinado e a poesia.  

No repertório, a Suacompanhia foi contemplada por importantes prêmios que subsidiaram alguns de seus trabalhos: Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2014 (“HERÓIS: UMA PAUSA PARA DAVID”, apresentado no CCBB BH e SESC Minas) e ProAC de Criação Literária – Texto de Dramaturgia 2015 (“PASSE-PARTOUT”, em fase de pré-produção). Já o espetáculo “A[R]MAR” foi subsidiado por meio de parcerias e também do aporte financeiro de 150 colaboradores por meio do Benfeitoria (plataforma de financiamento coletivo), estreou e cumpriu duas temporadas em São Paulo (Teatro Sérgio Cardoso e Cacilda Becker, em 2018) e integrou o Circuito Cultural Paulista.

   


realização

Criada em 2001, por Paulo Azevedo, a Comcultura Comunicação e Cultura, desenvolve ações personalizadas que mesclam a expertise no campo das artes e da comunicação, atuando em mais de 35 empresas, por meio de atividades originais.